Segunda 22 Outubro 2018

MGO colabora na preservação de geossítio paleontológico na BR-050

      escavaes no geosstio serra da galga - br 050 O geossítio paleontológico Serra da Galga, localizado no km 153 Sul da BR-050, na região de Uberaba, é um dos principais patrimônios históricos do gênero no país e, agora, vai contar com o apoio da MGO para sua preservação. Nele foi encontrado, em 2006, o fóssil do Uberabatitan ribeiroi, o maior e último dos dinossauros do Brasil, que viveu no final do período Cretáceo, há 65 milhões de anos. Seu nome Uberabatitan – significa gigante de Uberaba e ribeiroi – uma homenagem ao professor e paleontólogo Luiz Carlos Borges Ribeiro, diretor do Centro Paleontológico Price e Museu dos Dinossauros de Peirópolis, em Uberaba (saiba mais em Turismo Regional no nosso site: www.mgorodovias.com.br). Desde janeiro de 2010, o Centro e o Museu fazem parte do Complexo Cultural e Científico de Peirópolis da Universidade Federal do Triângulo Mineiro – UFTM.

 prof. ribeiro e o fmur do uberabatitan ribeirolis     
Para a retirada dos fósseis, foram removidas cerca de 300 toneladas de rochas ao longo de três anos. Nesse processo, realizado por dez técnicos do Centro Price e Museu dos Dinossauros, foram resgatados 198 fósseis, que permitiram sua reconstituição por meio de uma réplica, a partir da cópia desses fósseis e de uma reconstrução digital dos elementos não encontrados, trabalho de mais dois anos e de 15 técnicos.

      “Esse sítio contém uma grande quantidade de rochas sedimentares fossilíferas, que a todo momento tem revelado novos achados paleontológicos”, diz o prof. Ribeiro, um entusiasta do geoturismo. Segundo ele, “o local possibilita o desenvolvimento de projetos educacionais e turísticos ímpares e em tempo integral durante todo o ano. Nele o visitante conhece “in loco” uma escavação paleontológica em plena atividade, o que de fato é um diferencial importantíssimo na promoção e popularização da ciência dos fósseis e consolidação do geoturismo”. 

rplica do uberabatitan riberoi feita a partir de fsseis descobertos no geosstio paleontolgico serra da galga

       Além disso, o acesso é muito fácil, rápido e faz parte de corte da rodovia (talude) podendo ser alcançado através de canaletas pavimentadas em cimento, utilizadas pela drenagem pluvial. Está situado a menos de 1 quilômetro do posto da PRF e a 700 m de um posto de combustível e restaurante, o que oferece logística rápida para alimentação e sanitários.

      “Sabemos que o geossítio é de grande relevância para o patrimônio paleontológico do Brasil e para o entendimento do passado geológico da região, servindo de base para diversas pesquisas na área, além de ser considerado Patrimônio Cultural Brasileiro pela nossa Constituição. A MGO está prestando todo o apoio necessário aos pesquisadores da Universidade Federal do Triângulo Mineiro - UFTM nas pesquisas e para a preservação do local, demonstrando sua responsabilidade socioambiental”, ressalta o Coordenador de Meio Ambiente da MGO Rodovias, Emerson Machado.

       Como o local constitui um passivo ambiental, sua recuperação pela concessionária impediria escavações pelos pesquisadores e, consequentemente, a descoberta de novos fósseis e materiais. A MGO vai apresentar à ANTT as evidências necessárias para preservação do local, de modo que sejam mantidas as condições seguras de trafegabilidade na rodovia e as pesquisas continuem sendo desenvolvidas.

Fonte: Assessoria de Comunicação MGO Rodovias

Newsletter

Contato

CONCESSIONÁRIA DE RODOVIAS MINAS GERAIS GOIÁS S/A
Rua: José Rodrigues Queiroz Filho, 1529
Bairro Santa Mônica - Uberlândia MG
Cep:38408-252
Tel: 34 3291-8000

Localização da MGO

Top